Terça-feira, 6 de Março de 2007

Escolas de Samba

Para Eneida de Moraes as escolas de samba se originaram a partir do ranchos carnavalescos. A maioria dos historiadores do carnaval carioca acreditam que a Estácio de Sá foi a primeira escola de samba do Rio de Janeiro. Mas Almirante, afirmava ser a Mangueira. O que com certeza pode ser afirmado é que as escolas de samba cariocas foram as primeiras do Brasil.

 

O primeiro desfile ocorreu em 1932, a Mangueira foi à campeã. Nos primeiros anos de desfile, as escolas desciam os morros e realizavam suas evoluções na Praça 11, considerada o berço do samba carioca.

 

No ano de 1957, Cada escola contava com cerca de 1000 participantes e a composição era a seguinte: havia diretor de bateria e harmonia. Um carro abre-alas, pede passagem (faixa saudando o público), ala da diretoria, pastoras (moças que realizavam passos de ginástica durante o desfile), coro masculino, bateria e as demais alas. Naquele ano desfilaram 40  escolas (não havia grupos) e a campeã foi a Portela.

 

50 anos depois apenas 13 escolas desfilaram, não mais na Praça 11, mas na Marquês de Sapucuí. As escolas, agora, são organizadas pela Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (LIESA), e o desfile ocorre em duas noites, sempre com mais de 50 mil pessoas nas arquibancadas e camarotes. A campeã deste ano foi a Beija-Flor (foto). Em 2008, 12 escolas desfilarão no chamado grupo especial (1ª divisão do Carnaval Carioca).

 

Classificação do Carnaval 2007.

1 Beija-Flor 399.3
2 Grande Rio 397.9
3 Mangueira  397.4
4  Unidos da Tijuca      397.3
5 Viradouro 397.3
6 Vila Isabel 396.6
7 Salgueiro  396.4
8 Portela 394.8
9 Imperatriz Leopondinense 392.0
10 Porto da Pedra 391.2
11 Mocidade 391.1 
12 Império Serrano 389.6
13 Estácio de Sá  386.5
Evolução do Carnaval: Cordão - Rancho - Bloco - Corso - Escola de Samba

publicado por carnavalderua às 04:22
link do post | comentar | favorito

Corso. Quer dar uma voltinha?

Segundo Eneida de Moraes, em História do Carnaval Carioca. No carnaval de 1907, as filhas do então Presidente da República, Afonso Pena, entraram em um carro e atravessaram as ruas lotadas de foliões. Chegaram no Palácio do Catete, Rio de Janeiro (Capital do Brasil em 1907), desceram do carro e assistiram a folia da janela do palácio.

 

Alguém viu a cena e resolveu copiar. Pegou seu carro e andou no meio dos carnavalescos. Então, a cena foi ficando comum e um grande número de automóveis tomou as ruas do Rio de Janeiro. O chamado corso foi um sucesso tão grande, que durante o carnaval, aqueles que não possuíam carro, alugavam. Como os automóveis tinham capotas, ao longo do desfile elas eram abertas e as pessoas podiam assim ver melhor o corso. Ao final, os carros saiam cobertos de confete e serpentina e o tanque, é lógico, ficava vazio.

Há outra versão para a origem do Corso
 

Evolução do Carnaval: Cordão - RanchoBloco - Corso - Escola de Samba 

publicado por carnavalderua às 03:56
link do post | comentar | favorito

Blocos: O Galo é o maior

Conjunto de amigos, vizinhos, conhecidos, etc. As pessoas se reuniam conforme afinidade, não havendo nenhum requisito básico para pertencer aos blocos. Durante o desfile, com freqüência as pessoas aderirem aos blocos conforme o gosto pessoal. Assim ela seguia a folia, dançando, cantando e pulando com os demais componentes do bloco.

 

Um dos blocos mais conhecidos é o Eu Sozinho, como diz o nome, era formado por apenas uma pessoa. Esta não aderia a blocos, cordões, ranchos, nada... Também não freqüentava bailes, festas, apenas desfilava pelas ruas. Levava consigo seu pavilhão com o nome do bloco e cantava a sua música no meio da multidão, gerando, algumas vezes, repulsa das pessoas a sua volta, o que é explicável, pois ele entrava no meio dos blocos. Cá entre nós, foi um chato, que virou tradição, pois desfilou durante vários carnavais e gerou diversos “clones”.

O maior bloco carnvalesco do mundo é o Galo da Madrugada (foto). Foi fundado no dia 24 de janeiro de 1978 levando 75 foliões as ruas de Recife. Atualmente conta com cerca de 1 milhão e 500 mil participantes, sendo autenticado pelo Guiness Book, o livro do recordes, como o maior bloco do mundo.

Evolução do Carnaval: Cordão - Rancho - Bloco - Corso - Escola de Samba

publicado por carnavalderua às 03:13
link do post | comentar | favorito

Ranchos Carnavalescos

Os ranchos eram espécies de cordões, porém com alguma evolução. Eram mais organizados e contavam com maior presença feminina. Na sua orquestra havia instrumentos de cordas, além dos instrumentos já existem, geralmente bombos, tambores, etc. Além disso, existia um coro que acompanha a música.

 

Durante seu desfile, a porta-estandarte tinha a honra de levar o símbolo do rancho. Os mestres eram responsáveis por organizar cada parte. O de harmonia ficava encarregado de garantir que os foliões cantassem a música no ritmo certo e que a música e o canto casassem de maneira perfeita (Foto: Pixinguinha, à direita, mestre de Harmonia aos 14 anos), o de orquestra garantia a qualidade do som e o de coreografia era o responsável pelos movimentos ensaiados do rancho.

 

Evolução do Carnaval: Cordão – Rancho – BlocoCorsoEscola de Samba

publicado por carnavalderua às 02:52
link do post | comentar | favorito

Os cordões e o Bola Preta

O cordão é um tipo de “reunião carnavalesca”. Um grupo formado por pessoas fantasiadas, geralmente de velhos, palhaços e diabos. O começo do século XX marca o auge dos cordões, quando eles contam com cerca de 200 integrantes cada um.

 

Os estandartes eram comuns entre os eles e de grande importância. Artistas se ofereciam para pinta-los ou borda-los, no Rio de Janeiro os estandartes ficavam expostos na entrada dos jornais. Havia, inclusive, concursos que avaliavam o mais belo.

 

Os cordões tinham seus próprios cantos. Os temas eram a política nacional, de maneira crítica, debochada ou através de enaltecimento patriótico. Cada cordão tinha seu rei, rainha e os mascarados (que formaram o restante do grupo). O mais conhecido é o Cordão da Bola Preta.

O Bola Preta surgiu quando Caveirinha, um dos seus fundadores, pulava carnaval na rua, quando de repente viu procurava uma moça, com uma fantasia que havia uma bola preta na cabeça. Então, ele tentou encontrar a moça, para explicar ele falava apenas na bola preta. Então, assim ficou batizado o cordão, depois ficou decidido que as cores seriam preto e branco. O interessante é que entre eles, não se denominavam sócios e sim irmão

Evolução do Carnaval: Cordão - Rancho - Bloco - Corso - Escola de Samba         

publicado por carnavalderua às 02:27
link do post | comentar | favorito

.posts recentes

. Escolas de Samba

. Corso. Quer dar uma volti...

. Blocos: O Galo é o maior

. Ranchos Carnavalescos

. Os cordões e o Bola Preta

. Quanto mais diabinhos, me...

. Santiago: Um pouco da his...

. Os Heróis do Carnaval Car...

. E viva o Zé Pereira

. É proibido fumar! Nos ant...

.links

.Ricardo Amaral

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.arquivos

.Tags

. todas as tags

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds