Sexta-feira, 2 de Março de 2007

Até tu Imperador

 Como já citado anteriormente (Entrudo 1ª parte), o entrudo era uma festa onde as pessoas arremessavam objetos, principalmente ovos, farinha e fuligem contra os outros foliões. E para jogar água era usadas basicamente três maneiras: através de gamelas, pelas chamadas bisnagas ou com os limões-de- cheiro.

 

Era comum nos carnavais do século XIX e nos do começo do século XX, principalmente na cidade do Rio de Janeiro, os carnavalescos ficarem nas janelas de suas casas com uma gamela cheia de água. Assim, quando passava alguém, o banho era inevitável.

 

Outra forma de molhar os foliões durante o entrudo era as chamadas bisnagas, as pessoas a enchiam de água e a pressionavam quando queriam molhar outro “carnavalesco”. Os jornais cariocas da época, como a Gazeta de Notícias, ironizavam que as bisnagas, por serem semelhantes a seringas, podiam curar muitos enfermos, tamanha era a procura pelo brinquedo.

 

A terceira e mais interessante forma, foram os chamados limões-de-cheiro, uma espécie de laranja de uma fina camada de cera, que no seu interior era repleta de água. Era um tipo de “bexiguinha”, que hoje as crianças utilizam nas suas brincadeiras, porém feito de cera, por isso era comum machucar quem fosse atingido pelos limões-de-cheiro.

 

O curioso é que apesar de parecer ser uma brincadeira de “mal gosto”, na época era um sucesso, a maioria das pessoas gostavam de “jogar o entrudo”. Alguns jornais faziam campanha para que a festa fosse extinta, mas todo carnaval sempre havia entrudo. A simpatia era tão grande que até D. Pedro gostava da brincadeira e passou para seu filho o gosto pela mesma. Então, quando chegava o carnaval D Pedro II.  pegava suas bisnagas e limões-de-cheiro e partia para o ataque, o alvo: suas irmãs. Mas a alegria do nosso futuro Imperador não durou muito, logo suas irmãs adoeciam, devido aos banhos e mãe do rapaz, D. Maria Leopondina, o proibia de brincar continuar a brincadeira.

 

Saiba mais em: História do Carnaval Carioca, de Eneida de Morias  

publicado por carnavalderua às 14:48
link do post | comentar | favorito
|

.posts recentes

. Escolas de Samba

. Corso. Quer dar uma volti...

. Blocos: O Galo é o maior

. Ranchos Carnavalescos

. Os cordões e o Bola Preta

. Quanto mais diabinhos, me...

. Santiago: Um pouco da his...

. Os Heróis do Carnaval Car...

. E viva o Zé Pereira

. É proibido fumar! Nos ant...

.links

.Ricardo Amaral

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.arquivos

.Tags

. todas as tags

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds